facebook

O Facebook e a economia do gratuito



facebookJá quase todos sabem que o Facebook está a matar as visitas orgânicas de todas as páginas, quer sejam de grande empresas ou de páginas pessoais.

 

Para quem ainda não sabe aqui fica um breve resumo:

Você tem uma página no Facebook do seu site, loja online ou marca e promove-a para que as pessoas façam um like. Seria suposto que as mensagens colocadas na página chegassem a todas as pessoas que fizeram um like na página, só que isso não está a acontecer. Actualmente nem sequer se está a atingir 20% da base de fãs. O Facebook tem o algoritmo programado de tal forma que apenas chega a cerca de 7% das pessoas que fizeram um like na página (se caiu da cadeira, respire fundo e prossiga).

Naturalmente que muitos dos fãs das páginas também não estão a gostar muito da conversa, pois subscreveram uma página e gostariam de receber publicações que acabam por nunca chegar.

O objectivo do Facebook é fazer com que os administradores de páginas paguem para poder chegar a um maior número de fãs que já fizeram like à página! E esta situação está a afectar todos quantos têm páginas no Facebook. Mas e porque até agora tratava-se de uma economia do gratuito, penso que também tenho direito à minha opinião sobre este assunto.

Antes de mais nada há que dizer que o Facebook é uma empresa privada, e como tal temos de ter consciência que o seu objectivo principal é (e deve ser) fazer dinheiro. Isso nem sequer está em discussão, e penso que qualquer um tem de compreender que o objectivo de qualquer empresa privada é ganhar dinheiro, pois caso contrário vai à falência.

Dito isto, há formas de ganhar dinheiro inteligentes e outras que nem por isso. O Facebook está a gerir muito mal esta situação de acordo com o meu ponto de vista.

Vamos ver porquê: Muitas pessoas antes desta loucura da alteração do algoritmo do Facebook pagaram muito dinheiro para obter mais likes, ou seja mais fãs. É uma situação perfeitamente normal até certo ponto. E digo até certo ponto, porque eu nunca paguei para ter mais likes, pois preferi antes promover alguns posts que trouxeram algum tráfico para o blogue.

O que se torna mais complicado é quando alguém pagou pelos likes e agora não vê um retorno do investimento feito, pois muitos dos fãs nunca chegaram a ver qualquer publicação da página.

E isto acaba por se tornar num círculo vicioso: para se conseguir chegar a mais pessoas é preciso comprar mais likes, mas quando se compra mais likes, menos pessoas (proporcionalmente) estão a receber notificações sobre novas mensagens. A percentagem de alcance não muda (entre 5 a 7% dizem os entendidos).

Então onde está o negócio? Vale a pensa continuar a investir e não ver qualquer retorno do investimento? Certamente que os proprietários das páginas não estarão muito interessados para continuar a pagar, quer para ter mais likes ou para promover certas publicações sem ganhar nada em troca.

 

O Facebook e a economia do gratuito

E isto é o que acontece com a economia do gratuito: ou se tem um bom negocio por trás (como os jogos que o próprio Facebook tinha), ou se começa a cobrar por determinados serviços (como aconteceu com o MySpace -May they Rest In Peace-). Será que não irá acontecer ao Facebook o mesmo que aconteceu ao MySpace?

Oferecer coisas gratuitas na internet tem sempre um custo associado. Aquilo que se diz de não existirem “almoços grátis” é verdadeiro, o difícil é fazer com que esse custo valha a pena. Qualquer consumidor tem de estar consciente do que paga por esses ditos serviços “grátis”.

Pessoalmente não estou chateado com o Facebook. Não me chateia muito que as coisas boas deixem de ser gratuitas. O que me decepciona é que não me seja oferecido qualquer valor em troca do meu dinheiro. Como consumidor não gosto de estar constantemente e ver todas as páginas a pedir um like, e como dono deste modesto blogue e da página no Facebook, não estou muito interessado em pagar por anúncios que antecipadamente sei que quase ninguém irá ver.

O que se irá passar com o nosso Facebook? Nada de novo. Continuarei simplesmente a publicar os artigos e esperar que o alcance não baixe ainda mais. Se o alcance da página baixar, irei ponderar seriamente se valerá a pena continuar a actualizar a página do FB.

Nem o Dicas Dinheiro, nem muito menos marcas grandes e famosas deixarão de ser relevantes apenas porque o alcance no Facebook é reduzido ou mesmo inexistente. O Facebook é importante, mas é apenas mais um meio, e com estas medidas irá gradualmente perder a sua importância como estratégia de marketing, comunicação e fonte de tráfego. Será o Google Plus a próxima etapa?



1

Sem comentários

Escrever um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.