linkbuilding

Introdução ao link building



backlinksO link building é a ação de conseguir backlinks, ou seja ligações de volta à tua página web. Os backlinks são a principal forma que o Google tem de saber a força da tua página e por isso o link building é um dos pilares do SEO.

Neste blogue irei dedicar alguns artigos a este tema, e penso ser conveniente começar por um primeiro artigo de referência para falar sobre as bases de um link building mais seguro.

 

White Hat

Tudo o que vou falar neste artigo é White Hat, ou seja, a variante mais conservadora e de menor risco do SEO. Existem mais formas de fazer link building, que se costumam catalogar como Grey Hat ou Black Hat em função de quão agressivas forem as técnicas usadas. Cada uma dessas variantes tem os seus prós e contras, bem como defensores e detratores.

Em termos de longo prazo penso que se deve optar pelo White Hat pois está mais relacionado com a construção de páginas de qualidade, portais mais sérios e projetos de longo prazo.

Por agora, e durante os próximos meses, falarei essencialmente de White Hat.

 

Objetivo principal

Penso que podemos afirmar que “O principio básico do link building é a naturalidade.”

A naturalidade pode-se definir como tentar aparentar que não se está a fazer link building, mas isso não me parece muito exato. Seria mais correto defini-la como a tentativa de seguir um padrão de links semelhantes às páginas que têm mais sucesso, como por exemplo a Wikipédia, o portal Sapo ou os portais dos jornais nacionais.

Há vários fatores que temos de cuidar para seguir um padrão. Entre eles temos elementos como os anchor text usados, a variedade de IP, classe C, a localização (ou o tipo), a frequência da obtenção de links, links nofollow ou de não reciprocidade. Vejamos cada ponto, e iremos ver que na realidade tudo se resume na naturalidade.

 

Anchors

linksOs anchors devem ser os mais variados possíveis, tentando que mais de metade dos anchors usados sejam naturais. Alguns devem ser de marca ou url, outros podem incluir palavras-chave e alguns devem usar palavras não relacionadas.

Este seria um exemplo de anchors para a secção de dietas para emagrecer do blogue Como Perder Barriga Já:

  • Como Perder Barriga Já
  • com
  • http://comoperderbarrigaja.com/category/dietas-para-emagrecer/
  • com/category/dietas-para-emagrecer/
  • dietas para emagrecer
  • dietas
  • neste artigo sobre dietas para emagrecer
  • aqui
  • fonte

 

Origem

Há que variar tanto quanto possível a origem dos link e evitar receber demasiados links relacionados entre si. Mais concretamente, links desde o mesmo IP ou classe C devem ser evitados, ou pelo menos, não se deve abusar deles.

Também há que evitar links da mesma rede, mesmo que venham de um IP diferente. Há que ter atenção quando 2 páginas pertencem à mesma rede neste contexto. Os casos mais óbvios acontecem quando se partilha o Adsense e o Analytics. Também há outras pistas, como por exemplo o mesmo Whois (proprietário) ou que as ditas páginas tenham links entre si.

Também é suspeito que existam muitos links de uma rede para outra, mesmo que seja entre páginas diferentes. O caso mais típico é de 2 amigos que se ajudam um ao outro, e 5 das páginas de um ligam para outras 5 do outro.

 

Localização

É preciso procurar ter links contextuais, ou seja, rodeados de um texto que sirva de contexto. É o mais natural (citações de um artigo, por exemplo). O melhor exemplo são os artigos, embora possa haver mais: perfis, registos, diretórios, etc. Deve-se, sempre que possível, tentar contextualizar os links (rodeá-los de texto).

Os links no menu ou no footer são menos naturais. São links que se repetem geralmente ao longo das milhares de secções de uma página web. Também podem ser usados, mas nunca se deve abusar deste tipo de links. Aconselha-se a nunca ultrapassar os 10% de links deste género.

 

Temática

Uma ligação proveniente de um portal que aborda a mesma temática tem 2 vantagens: uma maior naturalidade e contextualização. O ideal seria que todos os links fossem assim.

Se o portal não for da mesma temática, pelo menos o contexto (post, por exemplo) deveria sê-lo. Por exemplo, se o blogue de origem do link aborda temas de desporto e tu queres falar sobre cães, podes fazer um post sobre como fazer desporto (correr, por exemplo) com o teu cão.

Deve-se sempre tentar que pelo menos 50% dos links sejam provenientes de um portal com a mesma temática, ou que pelo menos 90% provenham do mesmo contexto. Nunca devemos deixar que mais de 10% dos links sejam de temáticas e contextos não relacionados

 

Contexto

O contexto completo do link (todo o artigo, por exemplo) ajuda a definir os conteúdos da tua página de destino. Mas o contexto mais próximo (as 5-15 palavras que rodeiam o link) define-o muito melhor. Tenta que o dito contexto contenha as keywords objetivo.

Um exemplo seria: “podes ler mais sobre dietas para emagrecer aqui”, onde “aqui” seria o anchor text.

 

Conclusão

Naturalidade. Esse deve ser sempre o princípio básico por onde te deves guiar. Tenta variar as anchors text, IP’s e redes, e tenta ajustar bem a agressividade dos anchors.



Um comentário

  1. Anna Vlis
    Junho 1, 2015

Escrever um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.