linkbuilding

Guia para linkbuilding – Parte 2



linkbuildingRetomando o artigo anterior onde falámos sobre linkbuilding e estratégias de SEO, vamos continuar a discutir sobre a variação natural dos links. Aqui deixo o link para os que ainda não leram a primeira parte do guia para linkbuilding.

Vamos começar então…

 

No Follow de autoridade

É sabido que sites de autoridade como a Wikipédia ou o Twitter colocam de forma automática etiquetas No Follow nos links salientes para de certa forma controlar o SPAM indiscriminado. O próprio Matt Cutts disse que estes links não influenciam de forma directa os ranking (abaixo segue o vídeo).

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=x4UJS-LFRTU]

 

No entanto a criação de links de qualidade em sites de autoridade contribui para gerar grandes volumes de tráfego e este tráfego incide directamente sobre as User Metrics.

Dicas nº 3: Ter em conta que a qualidade da página de destino (landpage), assim como também os locais onde deixamos os nossos links, pois influenciam directamente as User Metrics.

 

Localização do link

A localização do link dá ao Google boas pistas sobre a qualidade e naturalidade do mesmo.

Dica nº 4: Os links in-text e mais próximos ao triângulo de ouro são os mais valorizados pelo Google.

Porquê? Porque os links in-text de uma forma geral estão inseridos num meio relevante para o backlink em questão.

Em relação ao triângulo de ouro, embora o Google leia tudo de forma linear, deduz no entanto que quanto mais próximo o link está do top-menu, mais importância terá. Os usuários digamos que fazem o scanner dos websites de forma diagonal de cima para baixo e da esquerda para a direita, sendo normalmente os locais que mais cliques recebem os que ficam localizados dentro na zona do triângulo de ouro, pelo que os links in-text aqui localizados influenciam positivamente as User Metrics.

linkbuilding

Evitar picos temporais

Os picos temporais de links são geralmente um mau sinal, pois alertam o Google para uma possível acção de spam e no caso de verificar isso mesmo, irá penalizar o website, seja de forma manual ou automática.

Este tipo de picos costumam ocorrer normalmente aquando da contratação de campanhas pontuais de linkbuilding onde são construídos milhares de links para o website durante um período de tempo curto, logo pouco naturais.

Dica nº 4: As campanhas de linkbuilding devem ser feitas de forma continua e crescente no tempo para evitar possíveis penalizações.

 

Qualidade

Tal como comentámos no capítulo anterior, os factores que outorgam qualidade aos links são:

  • Links em sites com autoridade
  • Links in-text
  • Relevância
  • Backlinks naturais
  • Links da Homepage
  • Qualidade editorial

 

Negative SEO

Bem, chegamos a um dos pontos mais polémicos do linkbuilding e que tem vindo a fazer imensos estragos desde a chegada do Google Penguin.

O SEO negativo, negative SEO ou Google Bowling não é senão a destruição de todo o trabalho que se teve através do uso de técnicas pouco éticas e desde logo reprovadas pelo Google.

Aqui ficam algumas das técnicas normalmente usadas para fazer Negative SEO:

  1. Infecção do website com Malware, Hacks, Injections + SPAM Reporting
  2. Criação de uma campanha de linkbuilding usando sites penalizados e de duvidosa reputação apontando para o nosso website

 

Aqui fica um vídeo onde se explica o processo em detalhe:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=5G1seZ7K6cM]

 

Se pensa ter sido vítima de uma campanha de Negative SEO, aqui deixo um guia feito pela Search Engine Land onde se explica passo a passo como pode recuperar o seu website: http://searchengineland.com/how-google-disavow-link-tool-remove-penalties-154928



Sem comentários

Escrever um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.