Os 8 pontos básicos da criação de uma estratégia de conteúdos

O Marketing de Conteúdos é sem dúvida uma excelente opção como estratégia de Social Media, especialmente porque é poderosa e eficaz. É claro que podes obter bons resultados se tiveres os conhecimentos necessários sobre o seu funcionamento, e um plano de implementação. Se conseguires transmitir informação sobre o que vendes e o fizeres de forma atrativa, o sucesso da empresa será um objetivo perfeitamente alcançável.
Durante estes anos em várias conversas, reuniões e apresentações cheguei à conclusão de que as pessoas ainda pensam que gerir redes sociais e gerar conteúdo é apenas publicar a primeira coisa que nos agrada ou vem à cabeça. Erro grave. É por isso que muitas empresas falham nas suas ações nos meios de comunicação social.
Quando tenho de explicar uma estratégia a alguém, o processo para gerar uma estratégia de conteúdo (Content Marketing), resumo-a nestes 8 pontos básicos.
estratégia de conteúdos

Objetivos:

O pior erro é publicar sem primeiro estabelecer objetivos. Sem eles, não poderemos saber que tipo de estratégia temos de criar ou se estamos no caminho certo.
De modo a definires o teu objetivo, recomendo a utilização do método SMART.
  • S (Specific) – Específico
  • M (Measurable) – Mensurável
  • A (Achievable) – Alcançável
  • R (Realistic) – Realista
  • T (Time-Bound) – Limitado no tempo
Exemplos:
  • Aumentar os seguidores da comunidade
  • Atrair novos clientes potenciais
  • Obter uma base de dados de subscritores para a newsletter

Definir as metas

Embora possa parecer o mesmo que objetivos, não é.
Exemplo:
  • Um objetivo: aumentar a comunidade de seguidores no Facebook.
  • Uma meta: conseguir 250 novos seguidores por mês

Audiência do teu conteúdo

Uma grande parte das estratégias de marketing de conteúdo envolve realmente conheceres o teu público. Faz a ti mesmo perguntas sobre o público-alvo: quantos anos têm, onde estão, no que estão interessados, como encontram o teu conteúdo, a que horas interagem? É preciso compreender o que eles gostam e em que tom é preciso falar com eles.
 

Definição de estratégias e tipos de conteúdo

Esta é a parte mais interessante. Ter objetivos e ver como os vamos alcançar e, sobretudo, desenvolver as táticas para os atingir.
Exemplo:
A estratégia será a de gerar conteúdos gratuitos para aumentar a base de dados. O tipo de conteúdo poderia ser: livros eletrónicos, modelos, tutoriais, entrevistas, infografias, etc.

Meios a usar

Dependendo do conteúdo e da estratégia, conseguirás definir os meios de comunicação e os que utilizar. Os mais comuns são: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest, LinkedIn.

Calendário Editorial

Recomendo a criação de um calendário editorial para agendar todo o conteúdo por tipo, data e onde será publicado. Isto deve ser feito a pensar estrategicamente e analisando cuidadosamente o conteúdo que melhor se adapta a cada tipo de rede social.

Definir métricas

Não faz sentido fazer um plano de conteúdo completo do princípio ao fim se não vais medir os teus resultados. Portanto, com base nos seus objetivos, metas e calendário editorial, deves definir os teus KPI’s.
Exemplo:
Um objetivo: aumentar a comunidade de seguidores no Facebook.
Meta: Conseguir 250 novos seguidores por mês
KPI: Número de novos seguidores

Medição de resultados

Finalmente, depois de teres executado a tua estratégia para o tempo predeterminado, analisa as estatísticas em detalhe para ver o que funcionou e o que não funcionou. Para tal, recomendo que se faça uma análise minuciosa das métricas geradas pelo conteúdo publicado.

Alguns conselhos sobre o ponto número 4, onde terás que desenvolver os conteúdos:

Planifica o conteúdo de acordo com objetivos

Lembra-te que gerar conteúdo não é uma atividade que deva ser deixada ao acaso. O conteúdo deve ser um processo planeado e, sobretudo, seguir os objetivos de comunicação estabelecidos para a marca e segundo as plataformas sobre as quais será publicado.
Planear não significa ser inflexível. No processo mensal do teu calendário poderá haver lançamentos, eventos e mesmo eventualidades que terás de cobrir e afixar. Fá-lo sem modificar a linha de comunicação.

Cria conteúdo de valor e “compartilhável”

Sabes muito bem que conteúdo sem valor e que não é partilhado dificilmente terá o alcance que procuras. Começa por identificar que conteúdo será interessante para o teu segmento de mercado alvo. Depois considera quais as plataformas e ferramentas que vais usar para partilhar o teu conteúdo. O conteúdo partilhado constrói o conhecimento da marca, aumenta o ROI e multiplica a base de seguidores. O conteúdo valioso está no centro de uma presença “on-line” eficaz.

Nem todas as plataformas são iguais. Cria conteúdo para cada uma

É um facto comprovado que cada plataforma funciona de forma diferente, mensagens que são eficazes numa rede social podem não ser eficazes noutra rede diferente. Por vezes não é assim tão simples de fazer, mas vale a pena não tomar o caminho mais fácil de ligar as suas redes sociais para replicar conteúdos. Dá aos teus utilizadores motivos para te seguirem em cada rede. Não o farão se não souberem distinguir entre uma e outra. Lembra-te também – e esta é uma consideração básica – que cada plataforma tem o seu próprio código e cada comunidade é diferente.

Não aborreças a tua audiência, diversifica o conteúdo

Tenho a certeza de que já te aconteceu isto ao seguir uma marca numa rede. Deixa-se de seguir essa marca porque o conteúdo é repetitivo e aborrecido. A melhor coisa a fazer é desenvolver estratégias para diversificar o conteúdo, para poderes manter-te relevante sem aborreceres o teu público. Neste ponto é aconselhável recorrer à narração de histórias adequada às redes sociais, dado que assim consegues apelar ao lado emocional das pessoas, gerando uma relação de confiança e lealdade à marca.

Publica de forma constante e consistente

Utiliza o ponto número 6, no calendário editorial onde estabeleces os dias em que vais publicar um novo post. Quando souberes os dias em que deves publicar, estabelece a melhor altura do dia para o fazer. Não seguir um padrão constante e consistente irá gerar alguma desconfiança no teu público, pois irá denotar que o perfil tem um certo abandono refletido na anarquia das publicações. É para isto que serve o calendário editorial: para planear o conteúdo e não permitir que os perfis pareçam negligenciados.

Tem cuidado com a qualidade gráfica e audiovisual

É incrível, mas muitas vezes devido a restrições de tempo, recursos ou orçamento, recorremos a imagens de má qualidade ou imagens que não correspondem com o objetivo do conteúdo. O aspeto visual é outro ponto importante a ter em conta de modo a oferecer aos utilizadores uma imagem de seriedade e gerar um sentimento de confiança em relação à marca.  Os utilizadores tendem a pensar que se um perfil não tiver um desenho de qualidade, a empresa a que pertence também não conseguirá fornecer produtos ou serviços de qualidade. Tal como é importante cuidar da reputação da marca, é essencial ter cuidado com a qualidade das publicações, tanto em formato gráfico como audiovisual.  Utilizar especialistas em web design e edição de vídeo para padronizar uma identidade visual que proporcione uma imagem atraente e profissional do que a marca oferece.

Oferece promoções exclusivas para seguidores

O que é atrativo é dar às pessoas uma boa razão para se envolverem com a marca, uma recompensa e uma rede social para se ligarem.  Oferece conteúdos e ofertas exclusivas para recompensar a lealdade dos teus seguidores e motivar outros a juntarem-se à comunidade.  As promoções alinhadas com as necessidades estratégicas do produto podem apoiar-te a aumentar as pistas e os seguidores.

Deixa o teu comentário