15 Conselhos para te Tornares um Influenciador

Hoje vamos falar sobre as 15 chaves para nos tornarmos um influenciador no mundo digital, e queres saber se também tu te podes tornar-te um influenciador, então a resposta é que sim.
Influenciador
Não esqueçamos que um influenciador é alguém relevante e com poder de persuasão num determinado campo. Por isso vou dar-te 15 conselhos que deves pôr em prática para te destacares como uma marca no campo em que és especialista.
Quando ouvimos a palavra influenciador, muitas vezes vêm-nos à mente youtubers, instagramers, tiktokers conhecidos, mas ser um influenciador é isso e pode ser muitas outras coisas. Ou seja, no final um influenciador é uma pessoa que pelo seu posicionamento, pela sua credibilidade, pela sua autoridade, é relevante num determinado campo.
Há muitos influenciadores ou influenciadores em certos campos em que não estamos envolvidos e que não são conhecidos a nível mundial. Por exemplo, podemos ir à área da psicologia e há pessoas muito relevantes neste campo, mas que nós não conhecemos.

Escolhe um nicho

A primeira coisa a decidir é onde queres ser relevante, onde queres ser um influenciador, no mundo da moda, no mundo do automobilismo, no mundo do marketing digital ou em qualquer outra área? Se queres ser relevante no mundo da moda feminina hippie, por exemplo, então esta área que temos de trabalhar. E este é o primeiro conselho que quero partilhar contigo. Escolhe um nicho, não procures generalidades. E porquê? Porque ser influenciador de generalidades é muito complicado. Muitos dos influenciadores que atualmente são generalistas começaram há 8–10 anos. Então nessa altura era muito mais fácil fazê-lo dessa forma, mas hoje em dia já não é tão simples. Além disso, as próprias redes sociais valorizam os nichos, por isso se fores genérico o que vai acontecer é no final as redes sociais também não irão ajudar.
 Portanto, procura um nicho específico. Obviamente deve ter um público suficiente, mas procura um nicho específico. De facto, nos negócios, sempre gostei dos nichos, porque é aí que há mais rentabilidade.
No fim é onde estão aqueles pequenos nichos de mercado e onde podemos crescer até sermos grandes. Ou seja, devemos tentar não cobrir demasiadas áreas, mas especializarmo-nos e usar bem os nossos recursos, tornando-nos fortes neste pequeno nicho, e a partir daí, tentar ir atrás de um mercado maior.

Cria uma estratégia de conteúdos

Criar uma estratégia de conteúdo. Ou seja, é incoerente ser um influenciador sem conteúdo, e este é um ponto extremamente importante ser registado.
Aqui acontece frequentemente dizermos que não gostamos de criar conteúdo, não sabemos como criar conteúdo, não sabemos por onde começar, nem nos queremos preocupar. Mas é preciso aprender.
Tens de ser claro na criação dessa estratégia de conteúdo permanente. Pensa nos influenciadores que conheces, alguém que vem à tua cabeça, desde os mais conhecidos até aos dedicados a nichos menores. Todos eles têm em comum estar constantemente a gerar conteúdo para as suas próprias plataformas ou para as redes sociais.
Assim, sem conteúdo não há evolução de um influenciador.

Escolhe os teus canais

Seleciona os teus canais, ou seja, onde vais começar a ser um influenciador ou que canal vais utilizar. Não tens de os utilizar todos em simultâneo. Há influenciadores bastante conhecidos no TikTok e praticamente sem presença ainda em outras redes sociais onde não têm nenhuma relevância.
Mas após se tornarem relevantes no TikTok, o que estão eles a fazer? Abrem um canal no YouTube e trazem tráfego para lá. Abrem um canal no Instagram, e trazem tráfego para lá. E fazem assim crescer esses canais mais rapidamente. Mas todos os seus esforços foram colocados num único canal, e isto é muito importante, porque para criar conteúdo para diferentes canais é preciso multiplicar o tempo e os recursos investidos. Depois, dependendo da capacidade que tiveres para gerar esse conteúdo e gerir esses recursos, tens de decidir se entras em outros canais.
Muitas vezes é para dizer “olha, vou concentrar-me num, vou concentrar-me no LinkedIn, vou trabalhar o LinkedIn mais em detalhe, vou fazer o melhor conteúdo na minha indústria, no meu sector”, e quando tiveres isso, expande-te para outro canal, será muito mais fácil porque uma vez que já tenhas criado essa comunidade no LinkedIn, é mais fácil ter presença noutro site. Imagina, por exemplo, o Clubhouse, e começar a levar seguidores e tráfego para lá.
Por isso, esta seleção de canais é muito importante.

Trabalha em rede

O trabalho em rede pode ser feito tanto online como offline, é muito importante estar em contacto com outras pessoas do sector no mesmo país e noutros países. Até mesmo em sectores paralelos que podem ser de alguma forma um complemento.

Participa em eventos

Participa em todos os fóruns e eventos presenciais e não presenciais que puderes. Felizmente que em breve devemos começar a ver mais eventos presenciais, por isso vai a todos aqueles que puderes, e mesmo online, inscreve-te em webinars, todos os tipos de eventos e marca presença, comenta, participa. É a melhor forma de, em última análise, dares-te a conhecer e também estabelecer ligações de networking. Por isso, quanto mais fizermos, mais feedback terás, é como quando nos aproximamos de um lago e atiramos uma pedra e fazemos círculos na água. Se atiramos uma pedra e, em simultâneo, atirarmos outra, esses círculos somam-se e ficam cada vez maiores. Bem, é o mesmo efeito, pensa desta forma, por isso marca presença em todos os eventos que puderes.

Cria um website ou blogue

Cria um website ou um blog. Todos precisam da sua casa digital, da sua própria presença digital, e essas não são as redes sociais. As redes sociais atuarão como satélites em torno do website, como colunas, mas precisas dessa casa digital, desse alojamento, dessa cobertura digital que é tua, e que é o teu website, por isso cria um website.
Criar um website onde te apresentas, onde colocas quem és, o que fazes. Usa muito formato de narração, contando histórias, porque é que és o que és, porque chegaste onde chegaste, o que te motivou, se, por exemplo, vens de um processo de mudança que muitas pessoas dizem: “Dediquei toda a minha vida a isto, mas agora quero mudar”, bem, porque não?
Já vi muitas pessoas dizerem “há dez anos que faço isto, mas agora decidi mudar porque isto me aconteceu… “. Bem, conta a tua história, é isso que todos nós adoramos, essas histórias, e esse website também gera conteúdo. No final terás um blogue onde deves escrever. Quantas vezes? Eu diria que tudo o que puderes. Quanto mais melhor, mas sempre enquadrado no plano de conteúdo que referi anteriormente.
Obviamente que tens de ter um plano de conteúdo, mas quanto mais publicares melhor. Lembra-te que o teu website será o canal onde as pessoas poderão-te encontrar nos motores de busca como o Google, e, nessa altura muitas pessoas poderão estar à procura de tópicos relacionados.
Obviamente que este processo precisa de paciência. Isto não se consegue de um dia para o outro, mas quanto mais cedo começares, mais cedo começarás a ver resultados.

Estuda os teus canais

É muito importante compreender como funciona cada um dos canais onde vais estar presente, se decidiste estar presente no LinkedIn, aprende, obtém informações sobre o LinkedIn tanto quanto possível. O mesmo se aplica ao Instagram, TikTok ou Facebook.
Portanto, investiga minuciosamente aquele canal onde vais estar, por isso disse no início que é muito importante esta escolha de canais. Não tentes estar em todos, porque será muito mais complicado criar tanto conteúdo, pois não terás tempo ou recursos para fazer tanto conteúdo, ou para dar a conhecer bem o canal. Pensa que se entrares em cinco canais tens de conhecer profundamente esses cinco canais, e isso é muito complexo.
Concentra-te apenas num canal. Por exemplo, se decidires entrar no LinkedIn, fá-lo com rigor, compreende como funciona, como funciona o algoritmo, quais são as melhores estratégias de visibilidade, tudo 100% concentrado nesse canal.

Ser transparente e autêntico

Sê autêntico com a tua marca, seja totalmente transparente, translúcido, seja pessoal, sê vulnerável, sê uma pessoa normal. Pensa que os influenciadores tiveram a grande diferenciação com outras figuras públicas e foi isso que os levou à fama, e isso é que se mostraram como são, e que, no final, o resto das pessoas nos faz ver serem pessoas normais.
Quando vemos, por exemplo, uma figura de Hollywood, um ator famoso, não o vemos como uma pessoa, pensamos em Brad Pitt, e não o imaginamos como uma pessoa normal, “é em Brad Pitt que pensamos”, nesse sentido é como se ele estivesse a outro nível, mas quando vemos muitos influenciadores, no final verificamos que ele é uma rapariga ou um rapaz normal, que está em casa a gravar, que desce a rua normalmente, e é isso que acaba por gerar esse envolvimento.
Então é verdade que eles podem tornar-se muito famosos e depois as coisas mudam, sim, mas falo dos inícios, daquela ligação humana que procuramos.

Responder aos comentários

Responde aos comentários, interage com a sua audiência. Há alguns anos, o diretor de uma empresa pediu-me contacto através do LinkedIn, e isso chamou-me a atenção. Eu não o conhecia, mas chamou-me a atenção ele ter-me pediu amizade. Ele veio ter comigo com uma mensagem pessoal, por isso, claro, respondi a essa mensagem com outra pergunta, simplesmente para ver como eles faziam. Sabem qual a resposta? Nunca houve uma resposta. Basicamente o que eles fazem é tentar transmitir proximidade, mas depois não fazem seguimento.
Mas o que vos digo agora aconteceu-me há poucos dias. Uma pessoa relativamente conhecida, não vou dar nomes por respeito, pediu-me amizade no LinkedIn. Chamou-me a atenção, e eu aceitei o pedido. Quando o aceitei, recebi uma mensagem a dizer: “olá, olha, é um prazer conhecer-te. Quero que me faças um favor, fazemos este inquérito para ver se o consegues completar, etc., etc.”.
Para saber o que realmente era pretendido, respondi: “é bom poder falar aqui, para mim é uma honra poder falar aqui no LinkedIn, acho ótimo. Vou ajudar a fazer o inquérito, mas proponho também uma pequena entrevista para o meu blogue.
Sabem o que aconteceu? Ainda não tenho resposta. É isso que não devemos fazer, porque no final tentamos transmitir que fazemos isto bem, que somos bons, que estamos perto, mas depois quando a pessoa reage, não respondem. Bem, isto é o que quero transmitir, devemos tentar responder sempre. Se ficamos depois  famosos e recebemos dez mil comentários, obviamente não podemos responder a tudo, mas neste caso é outro caso. Agora falamos de uma série de comentários normais, responder às pessoas, atendê-las, respondê-las, isto é muito importante.

Publicar conteúdo regularmente

Publicar novos conteúdos de forma consistente e constante. Temos de estar atualizados neste plano de conteúdos para estarmos constantemente a partilhar este conteúdo atualizado, estas ideias, e tudo o que nos permita manter uma imagem de que estamos atualizados no nosso sector em tudo o que fazemos, e manter-nos relevantes, o que no final que irá levar a ser influenciadores.

Ouve as críticas

Ouve as críticas. É muito importante ouvir as críticas, haverá críticas positivas, críticas construtivas, críticas negativas e destrutivas. Isto acontece, mas é importante ouvir todas elas e saber como as gerir também, porque muitas destas críticas ajudam a melhorar e a compreender.  Há outros que vais perceber que não têm pés, nem cabeça, e mais do que críticas são formas de julgar. Mas tudo bem, porque o bom de tudo é haver outros que te ajudam a pensar sobre as coisas. Às vezes podem dizer-te “hei, isto aconteceu, e assim por diante, tu não pensaste nisto…” e tu dizes “oh, uau! Ótimo, obrigado pelo comentário… uau, alguém se preocupou em dar-te feedback gratuito”, e isso tem um valor brutal, aproveita-o e fica agradecido por isso.

Sê acessível

Ser acessível às pessoas, porque no final do dia falamos de pessoas. Somos influenciadores, temos uma marca pessoal, mas somo humanos no final do dia, por isso temos de transmitir ou dar essa acessibilidade em que, insisto, na medida do possível.
Haverá alturas em que as coisas não podem ser ou não fazem sentido por quaisquer razões, mas mantém sempre essa acessibilidade em relação aos teus seguidores.

Investiga diariamente

Procura constantemente novos tópicos na tua área, tenta estar na vanguarda, o mais recente, procura informação noutros países, noutras línguas. Não importa se não conheces a língua, tenta traduzir com o Google Translator. Não importa, mas tenta detetar essas novidades, estudos, notícias, toda essa informação que é realmente relevante e acrescenta valor à tua comunidade, o que te levará a ter que pesquisar e estudar diariamente.

Segue outros influenciadores

Segue outros influenciadores do sector e menciona-os.
Procura colaborações com outros influenciadores. Podes vê-los como concorrentes ou como aliados. Eu gosto de os ver como aliados. Especialmente no início será muito útil, podes sempre propor fazer um Instagram em conjunto, fazer uma entrevista, ou o que quer que seja, mas procura formas de começar a fazer essa rede digital também com outros Influenciadores.

Cria o teu quadro de dados

E a última dica, quantificar tudo isto com dados, criar um painel onde se indicam os kpi’s, aqueles indicadores mais relevantes para medir a tua influência. Quais são? Depende da tua estratégia, mas eu diria que mistura indicadores quantitativos e qualitativos. E quantitativos podes medir o âmbito das publicações, o volume de interação, o volume de comentários, o volume de salvamento no Instagram, o número de assinantes, o número de visitantes da web. Tenta brincar com tudo isso e manter um controlo mensal.
Isto permitir-te-á ver se as ações que estás a tomar estão no caminho certo, se fazem-te evoluir na procura de influência no sector, ou, pelo contrário, se tens de tomar medidas corretivas porque não funciona como deveria.
No final, pensa que o que vais ter de fazer é muitas experiências para te ajudar a encontrar o melhor caminho a seguir.
Portanto, estas são as 15 chaves para se tornar um influenciador.

Deixa o teu comentário